Welcome to my World

Eu tenho uma espécie de dever, dever de sonhar, de sonhar sempre, pois sendo mais do que um espetáculo de mim mesmo, eu tenho que ter o melhor espetáculo que posso. E, assim, me construo a ouro e sedas, em salas supostas, invento palco, cenário para viver o meu sonho entre luzes brandas e músicas invisíveis.
Fernando Pessoa

terça-feira, 4 de maio de 2010

O Reino Proibido


Ontem a noite estava navegando na internet, quando meu pai fez questão de me avisar que estava passando um filme do Jackie Chan na globo. Parei tudo e fui verificar... E vi que estava passando O Reino Proibido (The Forbidden Kingdom).
É claro que eu já havia assistido, mas é sempre bom rever os filmes que a gente gosta!
Esse filme é legal porque tem um pouco de comédia, Kung Fu, mitologia chinesa e o melhor : Jackie Chan e Jet Li juntos (aliás adorei a luta entre os dois e seus estilos: louva-deus, tigre, “Estilo do Bêbado”).

Adoro um trecho do filme onde mostra um pouco da filosofia do Kung Fu:

“Um pintor pode ter kung fu, ou o açougueiro que corta a carne todo dia, com tanta habilidade que nunca toca os ossos.
Aprenda a forma, mas busque o que não tem forma.
Ouça o inaudível.
Aprenda tudo e esqueça tudo.
Aprenda o caminho, e então encontre o seu próprio.
O músico pode ter Kung Fu ou o poeta, que pinta imagens com palavras e faz os imperadores chorarem.
Isso também é kung fu, mas não dê nome a ele, meu amigo, porque ele é como a água.
Nada é mais suave do que a água... Mas mesmo assim, ela pode dominar uma rocha. Ela não luta... Ela flui ao redor do seu oponente. Sem forma, sem nome.
O verdadeiro Mestre reside em seu interior. Apenas você pode libertá-lo.”

Muito show!

Nenhum comentário:

Postar um comentário